Quem Somos

O que é Medicina Nuclear

A Medicina Nuclear é uma especialidade médica que usa quantidades muito pequenas de material radioativo, de forma segura e indolor, para diagnosticar e/ou tratar doenças.

Os procedimentos são não-invasivos. Eles ajudam médicos especialistas a diagnosticarem doenças através de imagens chamadas cintilografias, produzidas a partir da injeção de substâncias marcadas com material radioativo - os radiofármacos -, que são detectados pelos equipamentos de Medicina Nuclear.

As doses de radiação aplicadas no paciente são mínimas - freqüentemente menores até do que um exame de Raio X - e, por isso, a Medicina Nuclear pode ser utilizada em crianças, adultos e idosos.

Para que são usados exames de medicina nuclear?

A Medicina Nuclear se diferencia de outras técnicas - como a Radiologia - por mostrar não só a imagem da estrutura do órgão, mas também como ele está funcionando. É possível visualizar a estrutura e funcionamento de tecidos, órgãos, ossos ou sistemas inteiros.
Os procedimentos são utilizados principalmente para obter diagnósticos médicos por imagem. No entanto, a especialidade atua também no tratamento de diversas doenças, incluindo artrites, hipertireoidismo e o câncer de tireóide.

Indicações Mais Frequentes:

  • Análise de função renal
  • Visualização da função e circulação vascular
  • Imagens do coração e dos pulmões para detectar problemas circulatórios e respiratórios
  • Avaliação de ossos quanto à fraturas, infecções, artrites e tumores
  • Identificação e localização da presença de tumores, infecções e sangramentos
  • Avaliação do funcionamento da tireóide
  • Investigação de anormalidades cerebrais
  • Cirurgia Radioguiada (Linfonodo Sentinela)

Como funciona o procedimento?

Como o Paciente deve se Preparar?

Os exames de Medicina Nuclear têm diferentes preparos e procedimentos - instruções específicas serão dadas previamente, de acordo com o exame indicado pelo seu especialista. Antes do procedimento, o paciente recebe uma dose mínima do material radioativo que, posteriormente, será detectada pelo equipamento de Medicina Nuclear.
É importante que o paciente fique imóvel durante o procedimento. Os exames não envolvem dor, mas podem causar um pequeno desconforto, pois o paciente não pode se mover enquanto a imagem é adquirida. O corpo técnico de Medicina Nuclear fará o possível para deixar o paciente confortável durante o exame.

Quem fará o exame?

Todo o exame será acompanhado de perto por um de nossos técnicos em Medicina Nuclear, sob supervisão médica.

Quem interpretará os resultados?

Um médico especializado em Medicina Nuclear interpretará as imagens realizadas e dará um laudo, que será entregue ao paciente ou encaminhado diretamente para o médico que solicitou o exame.

Quais são os benefícios e os riscos dos procedimentos de Medicina Nuclear?

Benefícios:

  • As informações proporcionadas pelos exames são únicas e muitas vezes auxiliam na obtenção de diagnósticos mais precoces.
  • Para várias doenças, os exames detectam informações relevantes para se obter diagnósticos e determinar o tratamento mais eficaz.
  • A Medicina Nuclear é consideravelmente menos traumática que procedimentos exploratórios invasivos.
  • A Medicina Nuclear é sofisticada no nome, simples na execução, eficaz nos resultados e disponível à população através da ampla cobertura dos planos de saúde e do Sistema Único de Saúde (SUS).

Riscos:

  • Exposição mínima a radiação.
  • Reações alérgicas aos radioisótopos podem ocorrer, porém são extremamente raras.
  • A injeção de radioisótopos pode causar leve vermelhidão e desconforto local na pele.
  • As pacientes que estejam ou possam estar grávidas ou em período de amamentação devem sempre informar das suas condições a seus médicos ou técnicos